Imposto de Renda 2022: como fazer uma declaração simples? Veja o passo a passo

Para os contribuintes que não sabem por onde começar sua declaração do Imposto de Renda, o g1 preparou um passo a passo de como fazer uma declaração simples.

Excellence Certificado
11/04/2022

O prazo de apresentação da declaração do Imposto de Renda 2022, ano-base 2021, vai até o dia 31 de maio. A expectativa da Receita Federal é de receber 34,1 milhões de declarações neste ano, o mesmo número de documentos recebidos em 2021.

Veja abaixo o passo a passo para fazer sua declaração do Imposto de Renda – o exemplo considera uma declaração simples, sem dependentes.

1 – Baixe o programa

Antes de começar, a fazer a declaração, baixe e instale o programa da Receita Federal.

2 – Documentação

Separe seus documentos. Você precisará ter em mãos informes de rendimentos da empresa em que trabalha, de instituições financeiras e de outras rendas recebidas no ano passado.

3 – Declaração ou retificação?

Abra o programa do IR 2022. Na aba ‘nova’, escolha a opção “Declaração de ajuste anual”.

Escolha ‘Iniciar Importando Declaração de 2021’ se a sua declaração do ano passado estiver no mesmo computador. Caso contrário, clique em ‘Iniciar Declaração em Branco’.

4 – Dados cadastrais

Preencha primeiro os dados pessoais, como endereço e CPF.

Clicando em ‘Identificação do Contribuinte’, você também deve informar o número do recibo da declaração entregue no no passado, o número do título eleitoral e a sua ocupação.

No alto da página, clique em ‘Declaração de Ajuste Anual Original’, que indica que essa é uma nova declaração. A outra opção, ‘Declaração Retificadora’, deve ser usada para enviar uma declaração corrigindo uma anterior referente ao mesmo ano.

5 – Rendimentos

Tudo que é informado pelas fontes pagadoras e instituições financeiras precisa ser declarado. Caso contrário, o contribuinte corre o risco de cair na malha fina.

Você terá que pegar o informe da sua empresa e do banco e declarar os rendimentos do ano passado. Na ficha “Rendimentos tributáveis recebidos de PJ pelo Titular”, precisam ser informadas todas as fontes pagadoras e todos os valores recebidos em 2021.

Rendimentos isentos e não tributáveis, como bolsas de estudo e ganhos com a poupança, devem ser informados em ficha específica.

Já os rendimentos com aplicações financeiras e participação nos lucros e resultados devem ser informados na ficha “Rendimentos sujeitos à tributação exclusiva”.

6 – Bens e direitos

Aplicações financeiras, saldo em conta corrente e bens como imóveis e veículos devem ser informados na ficha “Bens e direitos”, com o valor em reais em 31 de dezembro de 2020 e no final de 2021.

7 – Pagamentos efetuados

Os gastos com despesas dedutíveis e que podem ser comprovadas, como pagamentos com saúde e educação, devem ser declarados na ficha “Pagamentos efetuados”, e precisam ser informados o CNPJ ou CPF da instituição ou do profissional.

8 – Verifique pendências

Existe um botão “verificar pendências”. Caso algum campo obrigatório não tenha sido preenchido, o próprio programa fará o alerta e mostrará o que precisa ser corrigido.

9 – Completa ou simplificada

O último passo é escolher o modelo de tributação: por deduções legais, a chamada completa, ou por desconto simplificado. O próprio programa indica a opção mais vantajosa. Ou seja, que oferece maior valor de restituição ou menor valor de imposto a pagar.

10 – Conta para restituição

Para os contribuintes com direito à restituição, o sistema pede que seja informado o banco, a agência e conta corrente para o depósito. Já para quem tiver imposto a pagar, pode optar em parcelar em até 8 quotas.

11 – Entregar

Por fim, basta clicar em “Entregar Declaração”, no canto esquerdo inferior da tela. A declaração é salva automaticamente.

Uma nova caixa aparecerá na tela, pedindo ao contribuinte selecionar a declaração a ser entregue e clicar em OK, e pronto.

Você ficou em dia com o Fisco!

Fonte: G1

Pesquisar